Recolhimento de compulsório cai 12% no ano até maio

Considerado um dos principais seguros do País contra crises de falta de liquidez, os depósitos compulsórios dos bancos brasileiros chegaram a R$ 393,042 bilhões no final de maio, segundo dados do Banco Central divulgados nesta terça-feira. O valor está 12% ou R$ 55,5 bilhões abaixo dos R$ 448,542 bilhões verificados no final de dezembro de 2011.

EDUARDO CUCOLO E FERNANDO NAKAGAWA, Agencia Estado

26 de junho de 2012 | 13h38

O estoque de compulsórios sobre depósitos a prazo caiu 26% no período. Nos recursos à vista, a queda foi de 14%. A exigibilidade adicional recuou 9%. O compulsório sobre poupança, no sentido contrário, cresceu 5%.

Em dezembro, o BC anunciou mudanças nas regras do compulsório sobre depósitos a prazo, cujo cronograma de liberação de recursos foi alterado posteriormente, em fevereiro, com expectativa de injeção de cerca de R$ 30 bilhões na economia até agosto deste ano. O objetivo da medida era direcionar esses recursos para que os bancos de maior porte comprassem carteiras de crédito de instituições menores. Em maio, o governo alterou a regra para incentivar especificamente a compra de carteira de financiamento de veículos.

Tudo o que sabemos sobre:
BCCréditocompulsório

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.