Recomposição de tarifas será feita de forma parcelada

O presidente da Telefônica, Fernando Xavier, confirmou que há um entendimento de que a decisão do Superior Tribunal de Justiça (STJ) não terá efeito retroativo. Segundo a repórter Gerusa Marques, a estimativa é de que as empresas tenham perdido, desde junho do ano passado, de R$ 1,2 bilhão a R$ 3 bilhões com a liminar que estabeleceu o Índice de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) como indexador, reduzindo o reajuste do ano passado de 25%, em média, para cerca de 14%.A partir da decisão de hoje, a Telefônica deve "abrir um canal de negociação" com a Anatel para a recuperação dessa diferença de cerca de 10 pontos porcentuais. "Não é uma questão de negociação", frisou Xavier, já que a Justiça assegurou a aplicação do Índice Geral de Preços Disponibilidade Interna (IGP-DI). "Mas a Telefônica será sensível para compreender o efeito da recomposição para o usuário.""Não vamos implementar a recomposição de imediato", acrescentou, ponderando que a decisão será precedida de conversas com a Anatel. De acordo com ele, a recomposição será feita de forma parcelada para reduzir o impacto sobre o bolso do consumidor. Ele, no entanto, não quis dizer em até quantos meses seria possível parcelar a recomposição, dizendo que ainda seria necessário avaliações.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.