Informação para você ler, ouvir, assistir, dialogar e compartilhar!
Tenha acesso ilimitado
por R$0,30/dia!
(no plano anual de R$ 99,90)
R$ 0,30/DIA ASSINAR
No plano anual de R$ 99,90

Recuperação da economia alemã vai enfraquecer no 2º semestre, diz governo

Dados apontam consumo e investimentos em alta, mas ritmo deverá desacelerar ante os seis primeiros meses do ano

Ligia Sanchez, da Agência Estado,

20 de agosto de 2010 | 07h04

O forte crescimento econômico da Alemanha no segundo trimestre levará a um considerável aumento na previsão do governo para o crescimento do produto interno bruto de 2010, segundo relatório mensal do Ministério de Finanças.

O informe diz que o crescimento de 2,2% no segundo trimestre ante o período anterior mostra que a economia está no caminho para crescer bem mais em 2010 do que a atual estimativa oficial do governo, de expansão de 1,4%, mesmo que a demanda por produtos de exportação da Alemanha - fator que impulsionou o resultado recorde - caia no segundo semestre do ano.

O governo publicará a atualização da estimativa de crescimento em outubro e o Ministro de Economia, Rainer Bruederle, afirmou que a nova meta pode estar acima de 2%, em linha com a previsão de muitos institutos de pesquisa. O conselheiro econômico para o governo alemão, Wolfgang Franz, afirmou à Dow Jones que o crescimento de 2010 pode passar de 3%.

Segundo o relatório mensal do ministério, "a demanda estrangeira por bens industrializados da Alemanha tende fortemente a aumentar. A recuperação do país será novamente dirigida pelo desenvolvimento dinâmico das exportações". Embora a demanda por exportação possa sofrer no segundo semestre deste ano, o ministério afirmou que o terceiro trimestre começou com força, baseado nos indicadores econômicos mensais.

Em relação às receitas de impostos e o orçamento do governo para 2010, o ministério afirmou que crescem as evidências de que o governo terá de tomar € 15 bilhões a menos em novas dívidas. O relatório mostrou que a receita de imposto caiu 0,9% em julho, em comparação ao mesmo mês de 2009. A receita de impostos federais também encolheu, em 5,7% em julho, na comparação anual. As informações são da Dow Jones.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.