Recuperação do Brasil assombrou o mercado, diz banco espanhol

O banco espanhol Caja Madrid destacou, em relatório mensal sobre a América Latina divulgado hoje, que a mudança de opinião ocorrida nos últimos meses entre analistas e investidores sobre as perspectivas econômicas e políticas do Brasil foi uma das ?mais assombrosas das últimas décadas?. Segundo o diretor do departamento de economia internacional do banco, José Ramón Díez, há cerca de oito meses se especulava não sobre a possibilidade de moratória, mas sim sobre o momento que ela ocorreria. Lembrando que agora os mercados brasileiros estão entre os mais rentáveis dos últimos meses e o País conseguiu realizar emissões soberanas de US$, 2,25 bilhões, Diéz destacou a importância da melhora da percepção sobre o Brasil para toda a América Latina. ?Depois de dois anos sem direção, se recupera a esperança na capacidade da América Latina para encontrar um modelo de crescimento estável, sólido e mais justo?, afirmou. O analista, no entanto, chama a atenção para a necessidade da queda dos juros nos próximos meses como forma de reativar a economia brasileira. ?Da agilidade do Banco Central para responder a esse contexto de maior debilidade (os juros oficiais deveriam baixar este ano até cerca de 20%) dependerá que se possa alcançar a nossa previsão de crescimento para 2003, que é de 2,1%?, disse Díez.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.