Recuperação do Brasil é destaque em relatórios estrangeiros

Os indicadores que mostram a forte recuperação da economia brasileira receberam destaque hoje nos relatórios dos bancos estrangeiros sobre o País. Eles alertam, no entanto, sobre a crescente preocupação nos mercados com um possível gargalo econômico. O WestLB observa que os dados do IBGE divulgados ontem, que mostram que a produção industrial em maio cresceu 2,2% ante o mês anterior, mostram que "a expansão agora é generalizada e não apenas limitada aos setores de exportação". O analista do WestLB, Adauto Lima, observa que a recuperação está ocorrendo em setores como de bens de capital, bens intermediários, bens duráveis e até mesmo de bens de consumo, "confirmando assim o aquecimento da demanda interna". Segundo ele, esses números fizeram com que os analistas de mercado começassem a revisar as suas estimativas de crescimento do PIB para cima, de 3,5% para 4%. O analista observou também que o Congresso Nacional aprovou medidas que vão facilitar os desenvolvimento econômico. "Entretanto, os analistas de mercado também começaram a discutir se o nível de investimento vai ser suficiente para manter a economia crescendo sem que ocorram gargalos na infra-estrutura que poderia afetar a produção futura e pressionar a inflação", disse Lima.O economista sênior do banco Dresdner Kleinwort Wasserstein (DKW), Nuno Camara, disse que no futuro o ritmo da expansão não deverá ser tão rápido como nos últimos meses. Segundo ele, a capacidade utilizada da indústria em São Paulo está num nível recorde de 82,5%, "o que significa que o espaço para o crescimento rápido está se tornando cada vez mais limitado apesar de uma forte recuperação no investimento". Camara observou, no entanto, que mesmo quer não ocorra mais expansão mês a mês no médio prazo, o setor industrial cresceria em até cerca de 5% ao longo de todo 2004.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.