bolsa

E-Investidor: Itaúsa, Petrobras e Via Varejo são as ações queridinhas do brasileiro

Recuperação econômica deve ajudar no resultado fiscal

O chefe do Departamento Econômico do Banco Central, Tulio Maciel, disse nesta terça-feira, 30, que espera um resultado melhor dos Estados nos próximos meses para a conta fiscal, como um reflexo da recuperação da atividade econômica. "A expectativa é de que, com a recuperação do ICMS, os Estados tenham resultados melhores", previu.

CÉLIA FROUFE E EDUARDO CUCOLO, Agencia Estado

30 de abril de 2013 | 12h25

Segundo Maciel, no primeiro bimestre do ano, o crescimento real de receitas com esse tributo foi de 7% em relação aos primeiros dois meses de 2012. Já na comparação do acumulado em 12 meses até fevereiro a alta foi de 4,6%, o que, de acordo com ele, mostra uma reação maior na margem. "Esta é uma receita associada à atividade econômica", salientou.

Apesar de os governos regionais terem apresentado a maior contribuição para o resultado fiscal de março, com um superávit de R$ 2,143 bilhões, o saldo ficou abaixo do apurado em março do ano passado, quando o resultado ficou positivo em R$ 2,884 bilhões.

Maciel: BC projeta dívida líquida em 35,3% do PIB em abril -

Para abril, a projeção de Maciel é que a dívida líquida do setor público alcance uma taxa de 35,3% do Produto Interno Bruto (PIB). Em março, ficou em 35,5% do PIB. Para a dívida bruta, a expectativa é de uma taxa de 58,9% do PIB ao final de abril. "A dívida líquida manteve-se relativamente estável em março, de 35,67% para 35,48% e a bruta também deve se manter relativamente estável", considerou.

Tudo o que sabemos sobre:
BCpolítica fiscalmarçoICMS

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.