Recuperação global recoloca dólar abaixo de R$1,70

O dólar despencou nesta terça-feirapara menos de 1,70 real, acompanhando a recuperação dosmercados em todo o mundo com o corte dos juros nos EstadosUnidos e a divulgação de resultados melhores que o esperado pordois importantes bancos de investimento. A moeda norte-americana encerrou o dia a 1,691 real, combaixa de 1,91 por cento. A queda, a maior desde 24 de janeiro,praticamente anulou os três dias seguidos de alta provocadapela piora da crise internacional de crédito. O corte dos juros pelo Federal Reserve foi mais uma medidapara tentar evitar uma recessão profunda e uma deterioraçãoainda maior do sistema financeiro. A redução de 0,75 ponto percentual levou a taxa básica dejuros para 2,25 por cento e, ainda que não tenha atendido àexpectativa de parte do mercado, que esperava corte de 1 ponto,não abalou a recuperação das bolsas de valores. Os investidores já vinham resgatando a confiança desde amanhã, quando o Lehman Brothers e o Goldman Sachs divulgaramresultados melhores do que o esperado e afastaramtemporariamente a preocupação com uma reprise do colapso doBear Stearns . As bolsas de valores imprimiram um ritmo forte de alta e oDow Jones avançou 3,5 por cento. O rendimento dos títulos doTesouro norte-americano também subia, indicando que osinvestidores estavam mais dispostos a correr riscos. Mesmo assim, segundo analistas, é cedo para dizer que atensão tenha terminado. Para Mario Battistel, gerente da Fair Corretora, o dólarainda pode voltar a ser pressionado no curto prazo, mesmo que atendência de queda permaneça por conta da diferença entre osjuros praticados no Brasil e no exterior --ainda maior diantedo corte da taxa nos EUA. "A gente vai ter que esperar. Fica mais vantagem ainda parafazer arbitragem de taxa, mas... acho que tem que aguardaralguns dias. Semana que vem talvez já esteja um pouco maisdefinido", disse o gerente. O Banco Central realizou um leilão de compra de dólares nofinal da manhã. A autoridade monetária aceitou ao menos umaproposta, segundo operadores, com taxa de corte a 1,7059 real.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.