Clayton de Souza/Estadão
Clayton de Souza/Estadão

Recuperações judiciais disparam em fevereiro e crescem quase 400%

Economia fraca, alta de custos e enxugamento do crédito fizeram número saltar na comparação com o mesmo período do ano passado; pedidos de falência subiram mais de 70%

Mário Braga, O Estado de S.Paulo

02 de março de 2016 | 17h54

O total de recuperações judiciais deferidas - após aprovação da Justiça - cresceu quase cinco vezes em fevereiro de 2016. O avanço foi de 391,2% em relação ao mesmo mês de 2015. No mesmo período, os pedidos de recuperação de judicial cresceram 359,5%, segundo números da Boa Vista Serviço Central de Proteção ao Crédito (SCPC). "Este é o maior crescimento na comparação interanual já registrado na série, que começa em 2005", afirmou Flávio Calife, economista da instituição.

O especialista aponta elementos da economia, como a fraqueza da atividade, os altos custos e o enxugamento do crédito, como fatores que prejudicaram as empresas no ano passado e que devem persistir ao longo deste ano. Na passagem de janeiro para fevereiro, os pedidos de recuperação judicial cresceram 56,9%, enquanto os deferimentos tiveram alta de 81,5%. 

Já os pedidos de falência subiram 76,3% em fevereiro de 2016 ante igual mês de 2015. As falências decretadas, no entanto, recuaram 9,1%. Na passagem de janeiro para fevereiro, o crescimento foi de 30,5% e 30,4%, respectivamente. 

A Boa Vista avalia que a persistência do atual cenário macroeconômico ao longo dos próximos meses deve levar os indicadores de falência e recuperação judicial a seguir em alta em 2016. "Como a maior parte das variáveis segue ruim, a questão da insolvência não deve se alterar", afirmou Calife.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.