Ações

Empresas de Eike disparam na bolsa após fim de recuperação judicial da OSX

Recursos de estrangeiros levam índice a pico em 12 meses

O persistente ingresso de recursos estrangeiros levou a bolsa paulista a resistir à influência negativa de Wall Street, fechando no azul pela sétima vez em oito sessões no fim de um dia volátil.

ALUÍSIO ALVES, REUTERS

10 de agosto de 2009 | 18h34

Com avanço de 0,89 por cento, o Ibovespa alcançou os 56.830 pontos, atingindo a maior pontuação em 12 meses. O giro financeiro do pregão, porém, ficou aquém da média recente, somando 4,24 bilhões de reais.

"O ânimo do investidor com o Brasil está bem maior do que em relação a outros mercados", disse Mauro Giorgi, gestor de recursos da Hera Investment. Os estrangeiros já injetaram, em termos líquidos, 13,5 bilhões de reais em ações de companhias brasileiras em 2009, até 5 de agosto.

Nesta segunda-feira, os recursos novos tiveram alvos específicos. Um deles foi Braskem, saltando 10,7 por cento, a 10,75 reais. Segundo operadores, a queda do dólar deve levar a petroquímica a reportar um ganho cambial gigante no balanço do segundo trimestre, que será divulgado esta semana.

Embraer foi outra a encabeçar os ganhos do índice, decolando 7,9 por cento, a 10,79 reais. Segundo profissionais do mercado, alguns investidores estão animados com a chance de a companhia ser beneficiada com ganhos de IPI.

Cosan veio logo atrás, com incremente de 6,9 por cento, para 19,14 reais, noutro dia de repique no preço do açúcar, que nesta sessão atingiu nova máxima em 28 anos.

BM&F Bovespa ainda calibrou o índice, com ganho de 2,8 por cento, para 12,28 por cento. Em relatório liberado pela manhã, o UBS elevou a recomendação dos papéis da companhia de "neutra" para "compra".

Já as blue chips tiveram desempenho mais modesto, embora tenham revertido para cima no final do dia. A preferencial da Petrobras ganhou 0,3 por cento, a 32,10 reais. A preferencial da Vale cresceu 0,1 por cento, para 33,07 reais.

O destaque negativo do índice foi Light, caindo 4,4 por cento, a 24,55 reais, depois de a distribuidora fluminense de energia ter decepcionado o mercado ao reportar que fechou o segundo trimestre com lucro líquido 68,8 por cento menor do que em igual período de 2008.

Em Wall Street, o índice Dow Jones recuou 0,34 por cento, puxado pelo recuo das companhias norte-americanas de varejo.

Tudo o que sabemos sobre:
BOVESPAFECHAFINAL*

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.