Recursos do BNDES para exportação têm queda de 57% no ano

O BNDES desembolsou US$ 100 milhões para operações de exportação no mês passado, elevando o total acumulado no ano para US$ 940 milhões. Em relação a igual período do ano passado, esse fluxo registrou queda de 57% em sete meses. A maior redução foi para operações de apoio às exportações da Embraer, que registraram contração de 81% nos sete primeiros meses de 2003, em relação a igual período do ano passado. Pelos dados do BNDES divulgados hoje, o banco desembolsou apenas US$ 32 milhões para o setor de "outros equipamentos de transporte" (onde são contabilizadas as operações da Embraer), elevando o acumulado nos sete meses para esse setor no total de US$ 324 milhões. Atrito entre BNDES e EmbraerNo dia 14 de julho, o BNDES anunciou que estava liberando US$ 503 milhões para a Embraer, mas os dados divulgados hoje não confirmam essa liberação. O relacionamento com a Embraer e o BNDES tem gerado atrito entre as partes e na sexta-feira o banco estatal divulgou nota oficial contestando afirmações da empresa aérea de que o banco estaria retendo financiamentos ao setor. O BNDES tem reiterado que a fabricante de aviões terá de buscar outras formas de financiamento para apoiar suas operações. No ano passado, os empréstimos para a Embraer chegaram a representar até 20% da carteira do banco estatal. Mercado de capitaisO BNDES praticamente não direcionou recursos para o mercado de capitais este ano. Nos sete primeiros meses, os desembolsos para a compra de ações e debêntures de companhias abertas totalizaram R$ 78 milhões. No mesmo período do ano passado, o banco estatal havia canalizado para o setor R$ 505 milhões, conforme dados divulgados hoje pela instituição.

Agencia Estado,

18 de agosto de 2003 | 13h42

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.