Recursos para comércio agrícola dobra, mas volume cai 28%

Subsídio do governo passou de R$ 2,2 bilhões em 2006 para R$ 4,09 bilhões em 2009, maior valor desde 1990

Célia Froufe, da Agência Estado,

18 de dezembro de 2009 | 14h27

Os recursos para apoiar a comercialização de produtos agrícolas brasileiros foram de R$ 4,09 bilhões em 2009, maior valor registrado desde 1990, quando foi criada uma série de instrumentos de equalização de preços. O cálculo foi divulgado hoje por meio de nota à imprensa pelo Ministério da Agricultura, responsável pela determinação das operações.

 

Até então, o recorde de recursos direcionados pela Pasta para este fim era do ano de 2006, quando as operações somaram R$ 2,2 bilhões - os valores não foram corrigidos pela inflação do período. Naquele ano, receberam apoio do governo 21,7 milhões de toneladas. Em 2009, apesar do valor mais expressivo, a quantidade de produtos adquiridos ou subsidiados pelo governo foi menor, de 15,52 milhões de toneladas.

 

"Valendo-se de diversos mecanismos de apoio direto à comercialização, o Ministério da Agricultura está preparado para responder às necessidades do setor rural em termos de comercialização e de abastecimento", avaliou o secretário de Política Agrícola do Ministério, Edilson Guimarães, por meio do comunicado.

 

Dados do ministério apontam que a Pasta destinou mais de R$ 12,2 bilhões nos últimos sete anos para apoiar 63,8 milhões de toneladas de produtos agrícolas.

 

Os recursos beneficiaram o algodão, arroz, café, feijão, mandioca, milho, trigo, vinho, leite, soja e sisal. Comprando diretamente dos produtores ou incentivando a aquisição por meio de subvenções, a Agricultura aplica os recursos para apoiar a comercialização de forma a garantir o preço mínimo ao produtor e o abastecimento.

 

Tudo o que sabemos sobre:
subsídiocomércioagricultura

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.