Rede de parques de diversão Six Flags pede concordata

A americana Six Flags, dona de 20 parques de diversão na América do Norte, entrou hoje com pedido de concordata, depois de acumular mais de US$ 2 bilhões em dívidas.

AE-DOW JONES, Agencia Estado

13 de junho de 2009 | 14h28

A companhia vinha tentando se reestruturar extrajudicialmente, negociando diretamente com credores, vendendo parques e demitindo funcionários. Porém, a crise econômica e um pagamento de US$ 288 milhões a acionistas preferenciais, previsto para agosto, além de US$ 31 milhões em dividendos não pagos, acabaram levando ao pedido de concordata.

O plano de reorganização, aprovado pelo comitê de credores da empresa, irá desalavancar o balanço da Six Flags em cerca de US$ 1,8 bilhão e eliminar US$ 300 milhões em obrigações relacionadas a ações preferenciais. Com a crise, o número de visitantes e o faturamento dos parques Six Flags caíram e a companhia postergou o pagamento de algumas dívidas.

O pedido de concordata do Six Flags representa um duro golpe para o investidor Daniel Snyder, dono do time de futebol americano Washington Redskins. Snyder assumiu o controle dos parques em 2005, depois de uma disputa acirrada, e empossou sua própria equipe de administração. A reestruturação provavelmente acabaria com a participação de Snyder no Six Flags. Em comunicado, a empresa não comentou sobre a participação acionária do investidor.

À época de sua batalha para tomar o controle da empresa, Snyder escreveu uma carta aos acionistas do Six Flags dizendo que "seria melhor para eles esconder seu dinheiro debaixo de um colchão" do que investir na companhia enquanto ela estivesse nas mãos dos administradores anteriores.

Tudo o que sabemos sobre:
criseconcordataSix Flags

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.