Rede de varejo aumenta preços dos produtos que as mães não querem ganhar

coluna

Dan Kawa: Separar o ruído do sinal é a única forma de investir corretamente daqui para a frente

Rede de varejo aumenta preços dos produtos que as mães não querem ganhar

Na loja peruana Oeschle, uma flor de plástico passou de R$ 24 para R$ 5,4 mil e um avental de cozinha não sai por menos do que R$ 4 mil neste Dia das Mães

O Estado de S.Paulo

10 de maio de 2017 | 11h19

Uma rede de lojas localizada no Peru decidiu dar uma forcinha para pais e filhos não escorregarem na hora de presentear as mamães no próximo domingo. A varejista Oeschle aumentou os preços de produtos como avental, balança, escorredor e tábua de corte justamente para que não sejam comprados como 'presentes' no Dia das Mães. 

Com o slogan "Lo que Mamá Sí Quiere" (O que a mamãe quer), o vídeo da loja nas redes sociais traz a reação das mães ao ganharem presentes pouco ou quase nada atraentes. O filme, depois, mostra os novos preços de seus utensílios domésticos, segundo a empresa, não indicados para as mulheres. 

Caso um filho peruano queira dar uma balança de presente terá que desembolsar 8.572 novos sóis, cerca de R$ 8.300, e não mais 59 novos sóis (R$ 57,15). Um avental de cozinha que antes custava 19,90 novos sóis (R$ 19,28) passou para 4.341 novos sóis, o equivalente a R$ 4.204. Flores de plástico, que custavam 25 novos sóis (R$ 24,22) passaram a custar 5.635 novos sóis (R$ 5.458,06).

Assista abaixo o filme da loja para o Dia das Mães:

 

Tudo o que sabemos sobre:
Varejo

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.