Rede LinkedIn é processada por vazamento de dados

Uma moradora do Estado de Illinois iniciou um processo de US$ 5 milhões contra o LinkedIn, dizendo que a rede social voltada a profissionais violou promessas ao não ter uma melhor política de segurança quando mais de 6 milhões de senhas de clientes foram roubadas. O processo foi registrado em um tribunal federal em San Jose, Califórnia, em 15 de junho, menos de duas semanas após as senhas roubadas aparecerem em sites frequentados por hackers.

O Estado de S.Paulo

21 de junho de 2012 | 03h09

O ataque ao LinkedIn, sediado em Mountain View, Califórnia, e com mais de 160 milhões de membros, foi o mais recente vazamento de dados corporativos de grandes proporções a atrair a atenção de advogados. O processo contra o LinkedIn foi registrado pela usuária Katie Szpyrka. Seus advogados disseram que o LinkedIn havia "enganado clientes" ao ter uma política de segurança "em clara contradição aos padrões aceitos do mercado para segurança de banco de dados". A porta-voz do LinkedIn, Erin O'Harra, disse que o processo não tem mérito e foi elaborado por "advogados que estão tentando tirar vantagem da situação". / REUTERS

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.