finanças

E-Investidor: "Você não pode ser refém do seu salário, emprego ou empresa", diz Carol Paiffer

Rede varejista do Piauí anuncia boicote aos produtos Philips

Motivo foi declaração do presidente da Philips de que Estado ''''não faz falta'''', diz executivo

Luciano Coelho, O Estadao de S.Paulo

07 de agosto de 2022 | 00h00

O grupo piauiense Claudino, que era o quinto maior comprador de produtos da Philips no Brasil, mandou suspender as compras dos produtos da empresa e retirar todos os aparelhos da Philips que estavam sendo vendidos no Armazém Paraíba, a loja de departamentos do grupo. A decisão da diretoria do Grupo Claudino, um dos maiores do Nordeste, foi tomada depois que o presidente da Philips do Brasil, Paulo Zottolo, declarou, em entrevista ao jornal Valor Econômico, que se o Piauí deixasse de existir ninguém ficaria chateado.Um dos diretores do grupo, João Claudino Júnior, confirmou a informação. Ele disse ter recebido ligações do próprio presidente da Philips pedindo para que a decisão fosse reconsiderada, mas que preferiu mantê-la. Procurada, a Philips informou apenas que Paulo Zottolo estava viajando.Zottolo chegou a enviar uma carta com pedido de desculpas ao governador Wellington Dias para se redimir do que tinha dito, mas aparentemente o pedido não foi suficiente. A idéia de um boicote aos produtos Philips vem se disseminando entre os empresários do Estado. Zottolo também se ofereceu para ir ao Piauí conversar com os empresários e com o governador para pedir desculpas pessoalmente. Mas, segundo Claudino, teria sido aconselhado a não viajar ao Estado.A reação popular contra as declarações de Zottolo têm sido fortes. Entidades estudantis organizaram na semana passada um boicote e quebraram produtos Philips em praça pública.Os produtos da marca Philips foram retirados das lojas Armazém Paraíba - são cerca de 300 pontos-de- venda em dez Estados nordestino - desde a semana passada. O Grupo Claudino não quis informar quantos produtos comprava ou qual o faturamento das lojas com a venda de produtos Philips.O senador João Vicente Claudino (PTB/PI), vice-líder do governo no Senado e um dos executivos do Grupo Claudino, disse que o grupo empresarial de seu pai não pretende mais comprar produtos da marca. A decisão é por tempo indeterminado. ''''O que estamos fazendo ainda é pouco diante do que o presidente da Philips disse do Piauí'''', comentou João Vicente. Outros empresários da região Nordeste também anunciaram que farão o boicote em solidariedade ao Piauí. Eles esperam que a Philips faça uma retratação, não apenas com uma nota pública de desculpas.CRÍTICASA sessão de ontem na Câmara Federal em homenagem aos 155 anos de Teresina acabou se transformando numa espécie de moção de repúdio, com muitas críticas às declarações do executivo da Philips. Deputados federais de vários Estados se mostraram indignados com o posicionamento de Paulo Zottolo. O deputado federal pernambucano Fernando Ferro (PT) disse que este tipo de declaração é preconceituosa e não afeta apenas o Piauí, mas todas as regiões mais pobres do País.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.