Redução da Selic foi "surpresa agradável", destaca Abrasca

O presidente da Associação Brasileira das Companhias Abertas (Abrasca), Alfried Plöger, disse que a redução hoje na taxa básica de juros, a Selic, de 24,5% ao ano para 22% ao ano foi "finalmente uma surpresa agradável", já que o mercado financeiro esperava uma redução de 1,5 ponto porcentual ou no máximo em 2 pontos. Ele contesta afirmações de que a queda dos juros vai trazer de volta a inflação. "Fazer essa previsão é patinar na maionese", pois a redução de hoje deve ser encarada como o início de um processo mais rápido de diminuição nos juros. Para as companhias que tomam dinheiro emprestado, os juros médios devem cair de 52% ao ano para um patamar ainda alto de 49% ao ano, afirma o empresário. O presidente da Abrasca considerou a redução dos juros uma medida positiva "em termos psicológicos" e que atende "às reivindicações da sociedade e do setor produtivo".

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.