coluna

Dan Kawa: Separar o ruído do sinal é a única forma de investir corretamente daqui para a frente

Redução da Selic não chegou aos consumidores

Quase um mês após a redução da taxa básica de juros de 19% para 18,75% ao ano, a maioria dos bancos de financiamento e o comércio mantém as mesmas taxas cobradas do consumidor antes do anúncio feito pelo Comitê de Política Monetária (Copom) no dia 20 de fevereiro. A queda de 0,25 ponto porcentual na taxa Selic não foi suficiente para influenciar o mercado, mas uma nova redução, esperada para a próxima semana, pode confirmar a tendência de queda para os próximos meses e, aí sim, ter reflexos nos índices ao consumidor."A redução da Selic é uma sinalização interessante, mas o processo até chegar ao consumidor é lento", diz Odacir Packer, supervisor da Lojas Cem, com 113 pontos-de-venda. Dias depois do anúncio da redução, a rede baixou seus juros de 5,9% para 4,8% ao mês, mas Packer explicou que a decisão já estava tomada antes da reunião do Copom. No Carrefour os juros não são alterados desde julho (4,8%, em média) e o Pão de Açúcar segue com taxas mensais de 5% a 6,9%.O banco Ford Credit oferece taxas de 2,19% ao mês para financiamentos de veículos da marca em 24 meses e, segundo um representante, a última redução da Selic ainda não pôde ser repassada aos clientes. O mesmo ocorre no Banco Volkswagen, que manteve a taxa média de 1,9%. Já o Banco General Motors foi um dos poucos a alterar suas taxas logo após a redução. Juros de 2,29% ao mês caíram para 2,24% (24 meses) e de 2,35% para 2,26% (36 meses).O Banco Panamericano optou por não mexer em suas taxas e, segundo um porta-voz, só promoverá mudanças se a próxima reunião do Copom confirmar a tendência de queda. O economista da Associação Comercial de São Paulo, Marceo Solimeo, também acredita que, mantida uma trajetória de queda, haverá sinalização para o comércio baixar taxas. A inadimplência, que em fevereiro subiu 7,3% na comparação com janeiro e 1,4% em relação a igual mês do ano passado também é um inibidor de corte de juros.O comércio, por outro lado, tem anunciado promoções, como a Casas Bahia, que oferece até amanhã eletrodomésticos em dez parcelas sem juros. O Carrefour tem essa opção para produtos adquiridos para pagamento em três meses.

Agencia Estado,

18 de março de 2002 | 10h17

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.