coluna

Carolina Bartunek: ESG, o que eu tenho a ver com isso?

Redução de 0,5 ponto porcentual é decisão esperada, diz IEDI

Na quarta, BC cortou a taxa Selic de 12% ao ano para 11,5% em escolha 'adequada ao momento'

Milton F. da Rocha Filho, da Agência Estado,

19 de julho de 2007 | 09h02

A decisão do Banco Central de cortar a taxa Selic de 12% ao ano para 11,5% a.a., repetindo a diminuição em 0,5 p.p. da última reunião, constitui não somente "uma decisão esperada, como é adequada ao momento, informou nesta quinta-feira, 19, o Instituto de Estudos para o Desenvolvimento da Indústria (IEDI).  Veja também:Dividido, Copom reduz juro para 11,50% A decisão segue um padrão no qual o Banco Central procura não surpreender o mercado financeiro. Por outro lado, embora possam ser aventadas possíveis ameaças ao cenário de inflação controlada que se apresenta no Brasil, ainda não há inequívoco sinal de problemas à vista para o horizonte influenciado por mudanças na taxa básica de juros no presente, ou seja, o início do ano que vem". O IEDI já pensa nas próximas reuniões do Copom (mais três este ano) e diz que tomada a decisão de manter o padrão de redução de juros na ordem de grandeza adotado na reunião anterior do Copom (de início de junho), as atenções desde já se voltam para as três reuniões próximas, a primeira a ser realizada em 5 de setembro.  Salienta ainda que segundo avaliações levantadas pelo Banco Central, a expectativa de mercado "é que para esta reunião, assim como para as seguintes, a redução da taxa Selic tenha seqüência, porém com queda de 0,25 p.p., o que levaria seu nível para 10,75% ao ano no final desse ano".

Tudo o que sabemos sobre:
IEDISelicBanco Central

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.