finanças

E-Investidor: "Você não pode ser refém do seu salário, emprego ou empresa", diz Carol Paiffer

Redução de compras pode acontecer em dezembro, diz Evans

O Federal Reserve, o banco central dos EUA, pode não começar a retirar sua política de estímulos por alguns meses porque a recente paralisação parcial do governo norte-americano, encerrada na semana passada, deixou o quadro econômico incerto, afirmou o presidente do Fed de Chicago, Charles Evans, em entrevista à emissora de TV CNBC.

SERGIO CALDAS, Agencia Estado

21 de outubro de 2013 | 12h25

O Comitê Federal de Mercado Aberto (Fomc, na sigla em inglês) do Fed fará reuniões de política monetária na semana que vem e em dezembro para decidir sobre suas compras de bônus, em US$ 85 bilhões por mês.

Para Evans, que tem direito a voto nos encontros do Fomc, é improvável que a redução dos estímulos tenha início neste mês, mas é possível que o processo comece em dezembro. Ele ponderou, no entanto, que as chances de um novo impasse fiscal dificultam uma eventual redução no último mês do ano.

"Acho que precisamos de alguns relatórios bons de emprego e sinais de crescimento maior, de crescimento do PIB", afirmou Evans. "Provavelmente, serão necessários alguns meses para resolver isso."

Muitos indicadores deixaram de ser publicados desde setembro, quando o Fed surpreendeu a maioria dos analistas e decidiu manter sua política inalterada, por causa da paralisação do governo.

Tudo o que sabemos sobre:
EUAfedcompras

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.