Redução de consumo de gás natural abre espaço para GLP

O presidente do Sindicato Nacional das Empresas Distribuidoras de Gás Liquefeito de Petróleo (Sindigás), Sérgio Bandeira de Mello, disse hoje acreditar que a intenção da Petrobras de reduzir o consumo de gás natural para priorizar o abastecimento das termoelétricas "abre espaço para o GLP", o gás liquefeito de petróleo. O executivo ressaltou que é importante que se tire o estigma de que o GLP é apenas "gás de cozinha". "O insumo precisa ser inserido em um contexto maior, de energia alternativa", disse Bandeira de Mello.Ele fez questão de deixar claro, entretanto, que o setor de GLP não pretende competir frontalmente com o gás natural. "A nossa proposta é de que ele seja um produto complementar, na matriz energética, ao gás natural." O empresário participou hoje do Fórum Permanente do GLP, realizado em Brasília.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.