Ações

Empresas de Eike disparam na bolsa após fim de recuperação judicial da OSX

Redução de jornada é polêmica

A redução da jornada semanal de trabalho em quatro horas, defendida pela bancada do PT na Câmara, foi recebida com críticas dos empresários e elogios dos trabalhadores. O presidente da Central Única dos Trabalhadores (CUT), Artur Henrique da Silva Santos, diz que a discussão vem em boa hora. "O momento é de gerar empregos e essa medida pode criar mais dois milhões de postos de trabalho."Para Marcos Galindo, do Sindicato dos Lojistas do Comércio de São Paulo (Sindilojas-SP), a medida não deveria ser discutida agora. "As empresas estão em situação desconfortável e os parlamentares não estão olhando para isso." Ele diz que a medida pode estimular a informalidade. O superintendente da Associação Comercial de São Paulo, Marcel Solimeo, diz que reduzir a jornada causa um efeito contrário ao pretendido. "O empresário vai ficar mais relutante ao contratar ou vai repassar o aumento de custos ao consumidor."Para o presidente do Sindicato dos Trabalhadores da Construção Civil de São Paulo, Antonio de Sousa Ramalho, a medida trará benefícios. "A Constituição de 1988 também reduziu a jornada e não causou demissões nem quebradeira".

PAULO JUSTUS, O Estadao de S.Paulo

06 de dezembro de 2008 | 00h00

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.