Reeleição de Bush pode acelerar negociações para Alca

As negociações para a formação da Área de Livre Comércio das Américas (Alca) serão apressadas, agora que o presidente norte-americano George W. Bush foi reeleito, na avaliação do diretor da Associação de Comércio Exterior do Brasil (AEB) José Augusto de Castro. "Até a definição das eleições nos Estados Unidos, a Alca estava em suspenso", considerou. O analista considerou ainda que Bush se prepara para seu segundo mandato na presidência com dois "gigantescos problemas": o déficit comercial e o déficit fiscal dos Estados Unidos. Para o primeiro problema, a solução mais óbvia seria apressar a formação de um bloco econômico como a Alca, que oferece novas oportunidades de comércio. "Mas isso pode significar fazer a Alca nos termos deles", comentou Castro. Ele observou que, em seu segundo mandato, Bush retorna mais forte politicamente, com maioria no Congresso, e isso pode estimular o presidente norte-americano a apresentar as mesmas "condições desvantajosas" para o Brasil na formação do bloco econômico. O analista lembrou que, há dois anos, o Congresso norte-americano aprovou uma lista de produtos sensíveis ao comércio exterior norte-americano, e que a maioria englobava produtos nos quais o Brasil é competitivo no mercado internacional. Para Castro, não só Bush volta mais fortalecido como o Congresso também, com seu poder político sendo controlado por uma maioria republicana, mesmo partido de Bush.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.