Refinaria Abreu Lima vai atrasar um ano, diz Campos

O início das operações da Refinaria Abreu e Lima, projeto da Petrobras com a estatal venezuelana de petróleo PDVSA, na região metropolitana do Recife (PE), previsto para 2011, vai atrasar um ano, segundo informou ontem o governador de Pernambuco, Eduardo Campos, durante o Fórum Estadão Regiões/Nordeste, realizado pelo jornal O Estado de S.Paulo com apoio da Agência Estado e da Rádio Eldorado. Segundo ele, o adiamento da obra, que tem 60% de participação da Petrobras, foi comunicado pelo presidente da estatal, José Sérgio Gabrielli, na semana passada, durante a assinatura de contratos relativos à construção.

AE, Agencia Estado

09 de dezembro de 2009 | 08h50

O governador minimizou as divergências com o Tribunal de Contas da União (TCU) relativas aos custos de terraplenagem, que teriam reduzido o ritmo das obras. "As obras de terraplenagem já estão quase concluídas, não houve interrupção", afirmou Campos. A Refinaria Abreu e Lima deverá receber investimentos de R$ 23 bilhões. Quando estiver concluída, vai processar 230 mil barris de petróleo por dia. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

Tudo o que sabemos sobre:
petróleorefinariaPE

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.