Refinarias na Bolívia ainda não foram transferidas à YPFB

Mesmo assim País já recebeu a 1ª parcela de US$ 56 milhões pelas refinarias

Agencia Estado

21 de junho de 2007 | 12h46

O diretor de Relações com Investidores (RI) da Petrobras, Almir Barbassa, disse nesta segunda-feira, 18, que a companhia ainda não transferiu à Yacimientos Petrolíferos Fiscales Bolivianos (YPFB) as duas refinarias que foram vendidas ao país vizinho. Segundo ele, o governo boliviano teve problemas na contratação de seguros para as unidades e a Petrobras se comprometeu a manter a produção enquanto essa questão não estiver resolvida.A estatal brasileira já recebeu a primeira parcela de US$ 56 milhões pelas refinarias, que foram vendidas por US$ 112 milhões. Haverá ainda uma segunda parcela, que será acertada em 60 dias.Barbassa afirmou ainda, durante o 9º Encontro Nacional de Relações com Investidores e Mercado de Capitais, que a nova Plataforma P-52 vai se pagar com 10 a 12 meses de produção. Durante este período, a geração de caixa após impostos da P-52 deverá ser de US$ 1,1 bilhão, exatamente o valor que custou a unidade.

Mais conteúdo sobre:
boliviarefinariaspetrobras

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.