Alan Santos/PR
Alan Santos/PR

ESG

Coluna Fernanda Camargo: É necessário abrir mão do retorno para fazer investimentos de impacto?

Reforma da Previdência interessa ‘até para o servidor’, diz Bolsonaro

O presidente participou do lançamento do programa "Juntos pelo Araguaia", que prevê a revitalização da Bacia Hidrográfica do Rio Araguaia em Aragarças

Teo Cury, enviado especial, O Estado de S.Paulo

05 de junho de 2019 | 14h37

ARAGARÇAS - O presidente Jair Bolsonaro (PSL) afirmou nesta quarta-feira, 5, que a proposta de reforma da Previdência interessa a todo o Brasil, "até para o servidor". "Se não reformar, vai faltar dinheiro para pagar o servidor lá na frente. De maneira que nós precisamos mostrar para o mundo lá fora e para os investidores aqui de dentro que nós estamos fazendo o dever de casa. O Brasil não pode continuar gastando mais do que arrecada", disse.

"Acreditamos nós que com a reforma aprovada basicamente como foi apresentada, investimentos virão e nós podemos decolar na economia", afirmou. O presidente participou do lançamento do programa "Juntos pelo Araguaia", em Aragarças, no Goiás, que prevê a revitalização da Bacia Hidrográfica do Rio Araguaia.

Leia Também

Monitor Bolsonaro

Também presentes no evento, os governadores de Goiás, Ronaldo Caiado (DEM), e de Mato Grosso, Mauro Mendes (DEM), defenderam a permanência de Estados e municípios na proposta que modifica as regras de aposentadoria. O tema é um dos assuntos mais polêmicos da proposta. 

A ofensiva de governadores e prefeitos para serem abarcados na proposta é grande e, como mostrou o Estadão/Broadcast, os municípios ameaçam recorrer à Justiça caso fiquem de fora.

Sob a ameaça de exclusão de servidores estaduais e municipais da reforma da Previdência, prefeitos se articulam para manter ao menos os municípios na proposta, mesmo que os Estados sejam retirados. Eles ameaçam acionar o Supremo Tribunal Federal (STF) para assegurar a inclusão das prefeituras na reforma.

"Nós temos que fazer as reformas, sim. E elas têm que ser inclusivas aos Estados e municípios dando espaço à educação, saúde e oportunidade de emprego", disse Caiado.

"Gente, pelo amor de Deus, não deixem os Estados e municípios fora dessa reforma", pediu o governador de Mato Grosso, Mauro Mendes. "Senão daqui uns anos nós vamos estar trabalhando apenas e exclusivamente para pagar nossos aposentados", afirmou. "Não sobra dinheiro para cuidar da saúde, das estradas, das escolas."

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.