Informação para você ler, ouvir, assistir, dialogar e compartilhar!
Tenha acesso ilimitado
por R$0,30/dia!
(no plano anual de R$ 99,90)
R$ 0,30/DIA ASSINAR
No plano anual de R$ 99,90
Gabriela Biló/Estadão
Gabriela Biló/Estadão

Reforma da Previdência pode destravar R$ 1,4 trilhão de investimentos, aponta Firjan

Estudo da Federação das Industrias do Rio de Janeiro indica que mudanças nas regras da aposentadoria podem ajudar no equilíbrio das contas públicas; a entidade ressalta importância da inclusão de Estados e municípios na proposta

Fernanda Nunes, O Estado de S.Paulo

11 de julho de 2019 | 11h49

RIO - A reforma da Previdência tem potencial para destravar R$ 1,4 trilhão em investimentos, pelas contas da Federação das Indústrias do Rio de Janeiro (Firjan). Estudo realizado pela entidade concluiu que a perspectiva é que gargalos na oferta de serviços à população sejam solucionados.

"A Firjan considera a aprovação da reforma da Previdência na Câmara dos Deputados um grande passo para o equilíbrio das contas públicas e a retomada do desenvolvimento no País, mas ressalta a importância da inclusão de Estados e municípios", afirma a entidade, em comunicado.

A avaliação é que o déficit da Previdência nos Estados chega a R$ 77,8 bilhões, o que tem impacto direto na oferta de serviços à população. Pelas contas da entidade, de 2014 a 2018, houve uma redução de 49,8% no volume de investimentos dos Estados, o que significou uma retração de R$ 34,7 bilhões e afetou a oferta de produtos, serviços e postos de trabalho.

"Além disso, caso Estados e municípios não sejam incluídos na reforma, o caminho para o ajuste das contas será financiado por toda sociedade, por meio de novos aumentos da carga tributária, tornando produtos e serviços mais caros", argumenta a Firjan, destacando que, no Rio, cada morador contribui com R$ 663,00 ao ano para cobrir o déficit de R$ 10,6 bilhões da Previdência estadual.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.