Reforma da Previdência volta à discussão em setembro e tem chances de ser aprovada

Reforma da Previdência volta à discussão em setembro e tem chances de ser aprovada

Ministro da Fazenda, Henrique Meirelles enfatizou que as medidas de recuperação de receitas não trazem aumento de tributos

Adriana Fernandes, Eduardo Rodrigues, Idiana Tomazelli e Lorenna Rodrigues, O Estado de S.Paulo

15 Agosto 2017 | 20h51

O ministro da Fazenda, Henrique Meirelles, afirmou que aprovar Reforma da Previdência é fundamental, porque o governo tem pouca margem para cortar despesas discricionárias. “A Reforma da Previdência deve voltar à discussão em setembro e tem grandes chances de ser aprovada”, afirmou.

Ele enfatizou que as medidas anunciadas nesta terça-feira, 15, de recuperação de receitas não trazem aumento de tributos. “Não há aumento de impostos para a população em geral”, frisou.

Meirelles confirmou ainda que as medidas sobre funcionalismo - como a reestruturação de carreiras e o aumento da contribuição previdenciária dos servidores - serão enviadas para Congresso para serem votadas este ano, para que possam começar a valer já em 2018.

++ Divergências na definição de meta fiscal escancaram críticas a Meirelles no Planalto

Mais cedo, o presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), minimizou o clima desfavorável à reforma da Previdência no Congresso Nacional. Após reunião de líderes, Maia foi questionado sobre as reais probabilidades de o tema ser votado ainda este ano e se mostrou otimista.

"Hoje não tem voto, mas em algumas semanas acho que a gente consegue reorganizar os partidos que defendem a reforma da Previdência. É um tema único e da maior importância", argumentou.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.