Região espanhola da Catalunha luta para reduzir déficit

A região da Catalunha, na Espanha, luta para controlar seu orçamento, enquanto as receitas fiscais caem e o pedido de benefícios aumenta, afirmou o secretário de Economia catalão, Albert Carreras, colocando potencialmente em risco a meta de déficit em 2012 que o país pactuou com seus parceiros europeus.

Reuters

18 de setembro de 2012 | 13h37

A industrializada região do nordeste da Espanha, com uma economia do tamanho da de Portugal, também pressiona por um maior controle sobre seus próprios assuntos fiscais, ajudando a lidar melhor com uma ressaca de gastos excessivos durante um boom de uma década que se encerrou há quatro anos.

"Estamos fazendo tudo que podemos para atingir nossos objetivos (fiscais), mas sabemos que há dificuldades", afirmou Carreras à Reuters em uma entrevista por telefone.

"Uma economia em depressão acaba gerando gastos públicos mais altos do que o pensado inicialmente, porque as pessoas pedem mais ajuda das administrações públicas", completou.

Estouros no orçamento da maioria das 17 comunidades ou regiões autônomas do país tiveram um papel importante no desvio de quase três pontos percentuais do país no não cumprimento de suas metas de déficit público em 2011, e em forçar a Espanha a convencer Bruxelas a conceder alguma margem fiscal neste ano.

A meta de déficit original da Espanha para 2012 era de 4,4 por cento, mas, após duas revisões, está agora em 6,3 por cento.

(Reportagem de Nigel Davies)

Tudo o que sabemos sobre:
MACROCATALUNHADEFICIT*

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.