Marcello Casal Jr./Agência Brasil
Marcello Casal Jr./Agência Brasil

Registrato não serve para consultar 'dinheiro esquecido' no BC; Saiba como evitar golpe

Novo site lançado pelo Banco Central é a única plataforma onde cidadão pode consultar valores a receber esquecidos em contas bancárias

Redação, O Estado de S.Paulo

14 de fevereiro de 2022 | 11h26

O Banco Central liberou nesta segunda-feira, 14, o Sistema de Valores a Receber (SRV), para pessoas físicas e jurídicas consultarem se existe alguma quantia "esquecida" em bancos para ser retirada. Porém, o BC vem fazendo uma ressalva importante: o sistema desta segunda só permite saber se há - ou não - valores para serem sacados. Apenas com o CPF ou CNPJ já é possível ter acesso à informação. Isso significa que não há necessidade alguma de login. 

Portanto, por exemplo, o login do Registrato (sistema do site do BC anteriormente utilizado na consulta de valores a receber), não será solicitado. "Não é possível consultar ou solicitar os valores no site principal do Banco Central NEM dentro do sistema Registrato. Todas as consultas e solicitações serão feitas exclusivamente neste link", informa a entidade.  

Já há relatos de golpes, realizados via WhatsApp, em que criminosos simulam o ambiente digital do Registrato, para ter acesso a informações das pessoas. Informações visuais e formulários são desenhados para tentar enganar o usuário, simulando o formato da ferramenta oficial da autoridade financeira. Ainda, o endereço do website falso tenta passar credibilidade, abusando da palavra “registrato” e “consulta” para passar falsa credibilidade. A partir daí, mensagens buscando convencer usuários são disparadas no WhatsApp, pedindo que as pessoas compartilhem informações pessoais com os criminosos. 

Como evitar golpes no WhatsApp

Como precaucação, as empresas recomendam que usuários atentem-se para o endereço do website em que vão clicar. Em caso de dúvidas, recorra a ferramentas de busca, como Google e Bing, para checar a autenticidade — essas plataformas tendem a “limar” esses sites fraudulentos das pesquisas, após serem avisadas por empresas de cibersegurança, diz a Site Confiável. “Por isso, os criminosos mudam o domínio ou nome do site para continuar a prática”, afirma Alessandro Fontes, cofundador da empresa.

Outras recomendações são fazer a autenticação em dois fatores de todas as contas digitais, incluindo o WhatsApp. Com isso, invasores têm uma etapa a mais no momento da invasão, dificultando o processo e oferecendo mais segurança aos usuários. Soluções como extensões de navegadores e antivírus de sempresas de cibersegurança podem ser instaladas nos dispositivos.

Tudo o que sabemos sobre:
Banco Central do Brasil

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.