Regras para microcrédito não devem mudar, diz Palocci

O ministro da Fazenda, Antonio Palocci, disse compreender a crítica dos bancos de que uma taxa de 2% para os empréstimos de microcrédito é "bastante apertada". Segundo ele, é uma taxa que exige que os bancos "trabalhem na margem da margem da margem". Palocci, no entanto, reafirmou que uma iniciativa do governo nesse sentido se justifica no momento em que se pretende facilitar e aumentar o acesso ao crédito para retomada do crescimento. Sobre a possibilidade de alteração da taxa, Palocci disse que as reivindicações serão analisadas, "mas não há, a príncípio, espaço para mudanças". Nas próximas semanas, segundo ele, o Conselho Monetário Nacional se reunirá e decidirá "o que nos parece possível de ser executado", ponderando que o governo quer um projeto que funcione.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.