Reino Unido anuncia plano de resgate e bolsas européias caem

Os 62 bilhões de euros servirão para comprar ações nos principais bancos do país; Londres cai 2,03%

Agências internacionais,

08 Outubro 2008 | 04h51

O governo britânico anunciou nesta quarta-feira, 8, um plano de resgate de 50 bilhões de libras (€ 62 bilhões) para estabilizar o sistema financeiro do Reino Unido, o que supõe uma nacionalização parcial. Apesar do anúncio, as bolsas européias abriram em queda o pregão.   Veja também: Bolsa do Japão tem a maior queda em duas décadas Bovespa cai 4,66% e atinge menor nível desde 2006 Juro nos EUA pode cair, sinaliza presidente do BC americano Especialistas dão dicas de como agir no meio da crise Entenda o pacote anticrise que passou no Senado dos EUA A cronologia da crise financeira  Veja como a crise econômica já afetou o Brasil Entenda a crise nos EUA      O dinheiro servirá para comprar ações dos principais bancos do país, que na terça-feira sofreram fortes quedas de até 40% no caso do Royal Bank of Scotland (RBS).   Confirmaram participação no programa de recapitalização até o momento as instituições Abbey, Barclays, HBOS, HSBC, Lloyds TSB, Nationwide, RBS e Standard Chartered. Segundo o governo, outros bancos também podem optar pelo plano.   Estas instituições se comprometeram a aumentar seu capital antes do fim do ano por um total de 25 bilhões de libras (cerca de 32,34 bilhões de euros), embora este crescimento varie de acordo com cada caso.   O governo afirma ainda que pode fornecer um mínimo de 25 bilhões de libras adicionais às entidades que reúnam os requisitos necessários para a aquisição de ações preferenciais ou nos casos nos quais os bancos o solicitem expressamente também para a compra de títulos ordinários.   O Banco da Inglaterra fornecerá outros 200 bilhões de libras (aproximadamente 258,864 bilhões de euros) em forma de créditos a curto prazo a fim de fornecer liquidez aos bancos e entidades hipotecárias.   As medidas, coordenadas com o Banco da Inglaterra e o organismo regulador da City, têm como objetivo assegurar a estabilidade do sistema financeiro e proteger os poupadores, titulares de depósitos e empresas.   O governo de Gordon Brown informou à Comissão européia deste plano de resgate e trata com outros países a possibilidade de ampliar estas propostas.   Os principais bancos britânicos desabaram na terça-feira na Bolsa de Londres, depois que a cadeia BBC informou que seus diretores tinham solicitado ao governo liquidez adicional.   O Royal Bank of Scotland (RBS) foi o mais afetado, já que perdeu 10 bilhões de libras (cerca de 12,9 bilhões de euros) de seu valor ao cair nada menos que 39% - a maior baixa em 13 anos -, até ficar em 90 pence.   Abertura das bolsas européias   As bolsas da Europa abriram em queda, seguindo a tendência das asiáticas. A bolsa de Londres cedia 93,59 pontos (2,03%) e se situava em 4.511,63 inteiros na abertura do pregão.A bolsa de Frankfurt caía 3,76%, até 5.126 unidades.   O índice S&P/Mib da bolsa de Milão perdia 2,50% para se situar em 23.032 pontos. O índice geral Mibtel, por sua parte, caía 2,91% até 17.294 pontos.   Em Paris, o indicador CAC-40 baixava 2,61%, até 3.634,72 pontos, frente aos 3.732,22 inteiros do fechamento de terça-feira.   O índice geral SMI (Swiss Market Index) de Zurique operava nos primeiros minutos do pregão em baixa de 113,92 pontos (1,77%), para 6.313,84. Em Madri, o índice Ibex-35 perdia 399 pontos (3,71%), aos 10.462. Já o principal indicador da Bolsa de Bruxelas caía 5,1%, aos 2.379,64 pontos.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.