Fabio Motta/ Estadão
Fabio Motta/ Estadão

Reino Unido quer fechar acordo com Mercosul até dois anos após Brexit

Integrantes do governo brasileiro e representantes do governo britânico já têm preparado, há pelo menos um ano, toda a base analítica para iniciar formalmente a negociação com o Mercosul

Julia Lindner, O Estado de S.Paulo

24 de janeiro de 2020 | 17h54

BRASÍLIA - O Reino Unido espera fechar o acordo de livre-comércio com o Mercosul em até dois anos após o Brexit, segundo uma fonte do governo britânico. A ideia é que o novo acordo tramite paralelamente ao tratado assinado no ano passado entre o bloco sul-americano e a União Europeia.

Esta semana, o ministro da Economia, Paulo Guedes, demonstrou otimismo em relação ao acordo. Em Davos, após encontro com o ministro britânico Sajid Javid, Guedes afirmou que o Brasil, por meio do Mercosul, deve ser um dos primeiros países a selar um acordo com o Reino Unido.

Uma autoridade britânica ouvida pelo Broadcast Político considera que não faria sentido o acordo entre Mercosul e Reino Unido seguir em ritmo diferente ao da União Europeia, já que os termos dos dois serão semelhantes. "Existe uma triangulação totalmente forte", avaliou.

Integrantes do governo brasileiro e representantes do governo britânico já têm preparado, há pelo menos um ano, toda a base analítica para iniciar formalmente a negociação com o Mercosul. Também há um diálogo aberto com empresários britânicos e brasileiros para tentar alinhar os termos.

A ideia é que o novo acordo entre Mercosul e Reino Unido seja "ainda mais liberal", segundo uma fonte britânica. Há, ainda, interesse por parte do Reino Unido de incluir regras de cibersegurança e base de dados. As cotas estabelecidas por produto também serão reavaliadas.

Além disso, será preciso alterar cláusulas da parte política do acordo firmado entre Mercosul e União Europeia para adaptá-la aos britânicos. Um dos pontos que eles não abrem mão, no entanto, é a questão da proteção ambiental e dos compromissos com o Acordo de Paris.

Há expectativa de que o presidente Jair Bolsonaro tenha um encontro com o primeiro-ministro britânico, Boris Johnson, no G20. Na semana passada, Bolsonaro ligou para Johnson para parabenizá-lo pela vitória na eleição do país, em dezembro.

Também está em negociação com o ministro da Justiça, Sérgio Moro, uma parceria entre o Brasil e o Reino Unido na área de segurança.  

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.