Reino Unido toma mais empréstimos do que o esperado

O governo do Reino Unido tomou mais empréstimos do que o esperado em julho à medida que os gastos aumentaram em razão dos benefícios sociais, segundo dados do Escritório para Estatísticas Nacionais (ONS, na sigla em inglês). A tomada de empréstimos líquidos pelo setor público, que é a medida preferida do governo britânico sobre o déficit orçamentário, foi de 557 milhões de libras (US$ 874,2 milhões) em julho.

AE, Agencia Estado

21 de agosto de 2012 | 09h17

Em julho do ano passado o Reino Unido fez mais pagamentos do que empréstimos, o que significa que houve um superávit líquido de 2,8 bilhões de libras. Para julho deste ano os economistas consultados pela Dow Jones previam um superávit líquido de 2,5 bilhões de libras. Os dados excluem intervenções no setor financeiro. Normalmente julho é um mês de superávit em razão das grandes receitas com imposto corporativo e de renda.

Os gastos do governo cresceram 5,1% em julho, para 50,2 bilhões de libras, em comparação com o mesmo mês do ano passado. Os gastos com benefícios sociais, que incluem auxílio-desemprego e pensões estatais, subiram 6,2%, para 16,0 bilhões de libras. Enquanto isso, a receita fiscal ficou praticamente estável em 52,5 bilhões de libras, de 52,9 bilhões de libras em julho de 2011.

Nos quatro primeiros meses do ano atual fiscal britânico, que começou em abril, os empréstimos tomados pelo governo totalizaram 44,9 bilhões de libras, um aumento de 26,2% em relação aos quatro primeiros meses do ano fiscal 2011/2012, quando o volume somou 35,6 bilhões de libras. O número de 2012/2013 exclui os 28 bilhões de libras gerados pelos ativos de pensão da estatal Royal Mail, que foram transferidos para as contas públicas em abril. As informações são da Dow Jones.

Tudo o que sabemos sobre:
Reino Unidoempréstimosjulho

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.