Rejeitado acordo entre portos e estivadores nos EUA

A porta-voz da Casa Branca, Claire Buchan, disse que as empresas que operam os 29 portos da Costa Oeste dos EUA rejeitaram o acordo proposto por mediadores do governo, de prorrogar os atuais contratos coletivos de trabalho por 30 dias e voltar à atividade enquanto se negocia uma solução definitiva. Buchan afirmou que o sindicato dos estivadores também rejeitou o acordo, o que contradiz um anúncio feito menos de meia hora antes pela liderança dos trabalhadores portuários. Os portos da Costa Oeste estão parados desde 29 de setembro, em um locaute decretado pelas operadoras. Na ocasião, os empregadores acusaram os estivadores de estarem fazendo uma "operação tartaruga". O porta-voz do sindicato dos estivadores, Steve Stallone, disse em San Francisco que os mediadores do governo Bush propuseram a prorrogação dos contratos de trabalho atuais por 30 dias para evitar ter de recorrer à Lei Taft-Hartley, que impõe a volta obrigatória ao trabalho por 80 dias, enquanto as duas partes voltam a negociar.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.