Beto Barata | DIV
Beto Barata | DIV

Ações

Empresas de Eike disparam na bolsa após fim de recuperação judicial da OSX

Relação comercial com Índia pode se equiparar à China

Governo brasileiro tem proposta de trocar com a Índia 500 preferências de produtos no âmbito do Mercosul

Ricardo Leopoldo ENVIADO ESPECIAL / GOA, ÍNDIA, O Estado de S.Paulo

17 de outubro de 2016 | 22h25

O ministro das Relações Exteriores, José Serra, afirmou que o Brasil pode ter uma relação comercial tão forte com a Índia quanto o País tem hoje com a China num horizonte de tempo não tão longo. Esta foi a conclusão ao fim da visita oficial do presidente Michel Temer e comitiva à Índia.

“A complementaridade entre a economia brasileira e indiana é até maior do que a complementaridade entre a economia chinesa e indiana, que é boa também”, disse Serra. “Temos uma proposta para trocar com a Índia 500 preferências de produtos no âmbito do Mercosul, que aceita perfeitamente. Isso pode ser materializado em fevereiro, com uma apresentação em novembro”, disse Serra.

O ministro destacou que uma questão relevante é enfrentar as barreiras sanitárias e fitossanitárias. “Em geral, o que acontece é que entra na burocracia e depois a questão fica parada. O primeiro ministro indiano disse que vai se empenhar sinceramente nisso.” José Serra ressaltou que o acordo de cooperação e facilitação de investimentos firmado deve ajudar a aumentar o potencial de negócios entre os dois países. O ministro apontou que há uma grande frente para o aumento de exportações do Brasil para a Índia em vários setores, como alimentos, etanol, remédios e aviação.

Parceiro. O presidente Michel Temer e o primeiro-ministro da Índia, Narendra Modi, realizaram ontem um encontro bilateral, depois do evento que reuniu os dirigentes dos Brics no final de semana. Modi disse que poderá ser um parceiro do Brasil na retomada econômica. “A prioridade do presidente Temer é a retomada da economia doméstica. A Índia pode ser um valioso parceiro nesse processo.”

Ele destacou que a visita também pode fortalecer os interesses de empresas brasileiras em investir no seu país e disse que tais companhias serão bem vindas. “O presidente Temer e eu concordamos em fortalecer a coordenação em fóruns internacionais, como ONU, G-20 e OMC”, disse Modi. Temer afirmou que, nos diálogos que manteve com o primeiro-ministro, conversaram também sobre iniciativas na área ambiental, sobretudo referente a energias renováveis.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.