Relação etanol/gasolina sobe a 67,47%, aponta Fipe

Levantamento distribuído nesta quarta-feira pela Fundação Instituto de Pesquisas Econômicas (Fipe) à Agência Estado mostrou que a relação entre o preço médio do etanol e o valor médio da gasolina atingiu o nível de 67,47% na terceira semana de julho na cidade de São Paulo. O número apurado representou alta ante o verificado na segunda semana do mesmo mês, quando a relação havia sido de 66,74%. Na terceira semana de julho de 2011, a relação estava em 68,94%.

FLAVIO LEONEL, Agencia Estado

25 de julho de 2012 | 18h01

Para especialistas, o uso do etanol deixa de ser vantajoso em relação à gasolina quando o preço do derivado da cana-de-açúcar representa mais de 70% do valor da gasolina. A vantagem é calculada considerando que o poder calorífico do motor ao etanol é de 70% do poder dos motores à gasolina.

De acordo com o coordenador do Índice de Preços ao Consumidor (IPC), Rafael Costa Lima, a relação atual pode até ter mostrado um ligeiro aumento ante a semana passada, mas continua indicando que o etanol é mais vantajoso que a gasolina no município. "A safra de cana demorou para entrar este ano. Ela não é boa, mas as notícias recentes de que os preços do açúcar estão caindo no mercado internacional, podem gerar alívio também para os combustíveis", opinou Costa Lima, para quem, tal informação pode incentivar os usineiros na produção de etanol.

Numa pesquisa mais ampla da Fipe, referente à terceira quadrissemana do mês (período de 30 dias terminado em 23 de julho) e que tem como base o IPC, o preço do etanol apresentou baixa de 2,57%, um pouco menos expressiva que a de 2,90% da segunda quadrissemana (período de 30 dias encerrado em 15 de julho). A gasolina, por sua vez mostrou redução de 0,29% em seu valor na terceira quadrissemana ante baixa de 0,19% na segunda medição do mês.

Tudo o que sabemos sobre:
INFLAÇÃOIPCFIPEJULHOETANOLGASOLINA

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.