Marcelo Camargo/ Ag. Câmara
Marcelo Camargo/ Ag. Câmara

Relator da Previdência informa que não vai ler parecer da reforma hoje na comissão

Maia e Marun decidiram adiar a leitura porque alguns pontos do parecer ainda não estão fechados; principal imbróglio é sobre a idade mínima para aposentadoria das mulheres

Igor Gadelha e Carla Araújo, O Estado de S.Paulo

18 de abril de 2017 | 10h34

BRASÍLIA - O relator da Reforma da Previdência na Câmara, deputado Arthur Maia (PPS-BA), informou nesta terça-feira, por meio de sua assessoria de imprensa, que não vai ler seu parecer hoje na comissão especial que analisa a matéria na Casa. O presidente do colegiado, Carlos Marun (PMDB-MS), informou que o relatório será lido amanhã, às 9h.

Maia e Marun decidiram adiar a leitura porque alguns pontos do parecer ainda não estão fechados. O principal imbróglio é sobre a idade mínima para aposentadoria das mulheres. A bancada feminina da Câmara, composta por 55 deputadas, tenta fechar acordo para fixar a idade em 62 anos, menor do que os 65 anos previstos para os homens. 

O deputado federal, Paulo Pereira da Silva, o Paulinho da Força, deixou o café da manhã com o presidente Michel Temer e deputados da base aliada dizendo que - como representante da central sindical - não está satisfeito com o texto da reforma da previdência apresentado nesta manhã pelo relator Arthur de Oliveira Maia (PPS-BA). 

Segundo Paulinho, mesmo reduzindo a idade mínima das mulheres para 62 anos ainda há insatisfações. "62 anos para as mulheres ainda é muito e 65 anos para os homens é inaceitável", disse 

Paulinho afirmou ainda que a central prepara para o próximo dia 28 uma paralisação contra as reformas de Temer. 

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.