Relatório da OCDE pede melhora do gasto público na AL

As principais economias da América Latina estão "no bom caminho" para pôr em ordem suas finanças, mas devem desenvolver a flexibilidade e a qualidade do gasto público. A afirmação está em um relatório, publicado nesta quinta-feira (2), pela Organização para a Cooperação e o Desenvolvimento Econômico (OCDE).O estudo, que analisa México, Argentina, Brasil e Chile, estabelece que os quatro países têm diferenças consideráveis quanto a dívida e o gasto públicos, mas devem enfrentar desafios similares, como a contenção do endividamento e a eficácia dos gastos.Reforma tributáriaOs analistas do organismo ainda prevêem "uma grande reforma tributária na região" e uma modernização da administração fiscal em muitos países. Mas para isso é preciso um aumento da base tributária que permita "que setores mais numerosos da economia contribuam para os gastos públicos".O estudo frisou que a Argentina e o Brasil tendem a "aumentar suas despesas e a reduzir seus investimentos públicos" por meio da revisão de suas políticas tributárias, em vez de replanejar os gastos propostos.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.