Arquivo Pessoal
Arquivo Pessoal

Relembre a briga entre o empresário Eike Batista e o juiz do caso

Em dezembro do ano passado, defesa do empresário pediu o afastamento do magistrado do caso alegando que o juiz estaria sendo parcial

Vinícius Neder, O Estado de S. Paulo

25 Fevereiro 2015 | 08h04

A briga entre os advogados que defendem o empresário Eike Batista e o juiz federal Flávio Roberto de Souza, responsável pela ação em que o ex-bilionário é acusado de manipulação de mercado e uso de informação privilegiada, começou em dezembro, quando a defesa pediu o afastamento do magistrado do caso. A alegação é que o juiz estaria sendo parcial.

Entre os argumentos usados pelos advogados está o fato de que, após a primeira audiência, o juiz concedeu entrevista à imprensa, “antes mesmo do fim da instrução criminal”, na qual teria revelado “seu comprometimento com a hipótese acusatória e quebra da garantia de parcialidade do juiz”. 

No dia seguinte ao pedido de afastamento, Souza afirmou que a tática da defesa de Eike é criar “embaraços”. “A tática da defesa é ir criando embaraços para que o processo não ande. São manobras”, disse o juiz na ocasião, dois meses antes de, no último dia 4, ordenar o bloqueio de R$ 3 bilhões de Eike e seus familiares.

O juiz tem criticado o estilo de vida de Eike e seus familiares que considera “incompatível com quem tem dívidas bilionárias.”

Mais conteúdo sobre:
Eike BatistaPorschejuiz

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.