Relógio que mede consumo de energia mudará de lugar

A Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) quer aumentar a eficiência da leitura do consumo de energia e diminuir a emissão de contas de luz com base em estimativa de consumo, quando a leitura dos relógios não pode ser feita pelo funcionário da distribuidora. Uma resolução da Aneel, publicada hoje no Diário Oficial, estabelece as regras para a instalação de equipamentos de medição de energia elétrica fora das residências ou das lojas, a critério das distribuidoras.O consumidor de energia não terá custo pela instalação ou transferência do medidor para postes, por exemplo. Os equipamentos deverão ficar em local acessível ao consumidor, para que ele possa fiscalizar as leituras. Segundo nota divulgada pela Agência, o consumidor terá maior privacidade, pois não será mais necessário o ingresso de empregados das concessionárias nas casas e lojas de quem optar pelo sistema. O consumidor também não será responsável por custos de irregularidades verificadas ou por danos causados aos medidores.Aneel afirma que não são considerados medidores externos os relógios instalados em áreas de uso comum, como aqueles de edifícios ou condomínios, e os instalados em muros e fachadas de propriedade do consumidor. A Agência esclarece que a instalação de medidores externos em áreas de conservação de patrimônio artístico, cultural e histórico somente poderá ser feita com autorização dos órgãos públicos responsáveis pelo tombamento. Tampouco poderá ser instalado equipamento de medição externa em áreas em que as redes de distribuição sejam subterrâneas, ou com previsão para esse tipo de sistema.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.