Remédios: vendas caem devido ao genérico

Ontem, o Conselho Regional de Farmácia do DF (CRF-DF) divulgou pesquisa mostrando que 86 dos 300 remédios mais vendidos no Brasil tiveram redução de vendas de até 35% entre agosto de 1999 e agosto deste ano. Entre esses medicamentos estão o Cataflan, campeão de vendas no País, que registrou queda de 9,1% nas vendas e 12% no faturamento. Dos 86 remédios, 23 deles têm genéricos e 82 têm similares disponíveis no mercados. Os genéricos e similares são vendidos a preços bem menores que os remédios de marca.Laboratório só para genéricosEm dois anos o País terá um laboratório que fabricará apenas remédios genéricos. Essa é a previsão dos laboratórios Biosintética do Brasil e Teva, de Israel, que anunciaram ontem em São Paulo a criação do BioTeva. A sede ainda está em fase de estudos. Até o fim de 2001, a nova empresa pretende colocar no mercado 50 genéricos. Três deles, já aprovados pela Anvisa, chegarão às prateleiras das farmácias no fim de dezembro. Até março, estarão à venda 15 desses genéricos. "São medicamentos de alta qualidade e 40% mais baratos", disse o vice-presidente do Biosintética, Omilton Visconde Júnior. "Todos esses genéricos são próprios para o tratamento de doenças crônicas", informou Visconde Júnior. Segundo ele, os remédios do BioTeva beneficiarão principalmente o consumidor que tem doença crônica e não faz o tratamento adequado por falta de opção no preço.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.