Remessas de brasileiros chegaram a US$ 7 bi em 2006, diz <i>FT</i>

Os brasileiros que vivem e trabalham no exterior enviaram ao País US$ 7 bilhões (cerca de R$ 14,5 bilhões) no ano passado, segundo matéria do diário econômico Financial Times nesta sexta-feira, 16. A cifra significa um aumento de 9% em relação aos US$ 6,4 bilhões enviados em 2005, disse o FT. De acordo com o jornal britânico, os dados serão divulgados pelo Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID), em um encontro neste fim de semana.Na América Latina, as remessas de brasileiros só ficam atrás do volume enviado por mexicanos (US$ 23 bilhões). Colombianos enviaram à terra natal US$ 4 bilhões em 2006, disse o jornal.Juntos, diz a matéria, os três países respondem por mais da metade dos US$ 62,3 bilhões enviados por imigrantes latino-americanos e caribenhos em 2006 - um aumento de 15% em relação ao ano anterior.ImportânciaApesar do grande volume movimentado por sul-americanos, a matéria destaca que as remessas são particularmente importantes para os países da América Central. Em alguns países, elas correspondem a até 10% do Produto Interno Bruto (PIB). Um porta-voz do BID disse ao repórter do FT que, sem elas, entre oito milhões e dez milhões de famílias latino-americanas estariam abaixo da linha pobreza.Sucessivos aumentos nas remessas de estrangeiros têm motivado discussões em fóruns internacionais para reduzir as taxas cobradas sobre as operações financeiras, e canalizar o fluxo dos recursos para a economia formal.Dados do relatório citados pelo FT indicam que dois terços das remessas de sul-americanos se originam nos Estados Unidos. Os países da Europa, sobretudo Espanha, Portugal, Itália e Grã-Bretanha, são a origem de 15% do volume.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.