EFE/ Koichi Kamoshida
EFE/ Koichi Kamoshida

Renault diz que encontrou provas de que Carlos Ghosn pagou casamento com dinheiro da empresa

Executivo está preso desde novembro do ano passado por supostas irregularidades financeiras em sua gestão na companhia

Gabriel Wainer, O Estado de S.Paulo

07 Fevereiro 2019 | 16h10

A Renault afirmou ter encontrado evidências de que o ex-presidente e executivo-chefe da companhia Carlos Ghosn, preso desde novembro do ano passado por supostas irregularidades financeiras em sua gestão, pode ter usado fundos da empresa indevidamente para pagar pela celebração de seu segundo casamento, no Grand Trianon, palácio na região de Versailles que foi residência oficial de presidentes da França. Essa foi a primeira vez que a própria Renault revelou falhas na conduta de seu ex-presidente.

A montadora francesa disse que Ghosn pode ter se beneficiado pessoalmente de um pagamento de 50 mil euros que a Renault fez ao Palácio de Versailles, em um acordo de patrocínio. A companhia está investigando se os fundos destinados ao patrocínio foram utilizados para o pagamento da festa de casamento e aniversário de sua esposa, realizada no outono de 2016.

A defesa de Ghosn não respondeu à reportagem. A Renault já reportou o caso às autoridades francesas./ Com informações da Dow Jones Newswires 

 

Mais conteúdo sobre:
RenaultCarlos Ghosn

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.