Renault terá plataforma comum com Nissan

A Renault e a Nissan anunciaram, na França, o desenvolvimento de uma nova plataforma comum para os veículos do chamado segmento C (carros médios compactos). Será a segunda plataforma comum da aliança entre as montadoras francesa e japonesa. A primeira, voltada para os veículos do segmento B (carros pequenos), está em desenvolvimento desde 1999. A parceria entre Renault e Nissan prevê a produção de 2 milhões de unidades por ano na plataforma C e de 1,7 milhão de veículos por ano na plataforma B. Os veículos das duas marcas, montados nestas plataformas deverão representar mais de 50% dos futuros volumes de produção da Renault e da Nissan. Até 2010, as empresas terão suas linhas de produtos diferenciadas em dez plataformas comuns e dividirão oito famílias comuns de motores. A plataforma C será utilizada num primeiro momento pela Renault, a partir do final de 2002, na nova geração do Mégane. A partir de 2004, serão renovados os modelos Nissan do segmento. Nesta ocasião, a plataforma será adaptada aos novos motores da Aliança, lançados neste período, para responder às exigências dos mercados japonês e norte-americano. De acordo com as montadoras, a política de plataforma comum será completada por uma estratégia de desenvolvimento de famílias comuns de motores, que permitirão economias de escala na compra de peças, de equipamentos e de ferramentas industriais. A cooperação vai reduzir o número de bases motores, sem alterar a diversidade das motorizações. Em 2000, as duas montadoras comercializaram 5 milhões de veículos em todo o mundo, sendo 2,6 milhões de unidades da Nissan e 2,4 milhões da Renault. Com 8,9% de participação no mercado mundial (4,2% para o grupo francês e 4,7% para a japonesa), a aliança Renault-Nissan está entre as seis primeiras montadoras no ranking mundial.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.