Renda maior e juro menor turbinaram poupança em 2007

Outro ponto que tem pesado a favor da poupança é a facilidade de investimento

Fernando Nakagawa, da Agência Estado,

08 de janeiro de 2008 | 19h44

A caderneta de poupança encerrou 2007 com o melhor resultado da história. Especialistas dizem que o desempenho pode ser explicado por dois fatores principais: aumento da renda e queda dos juros. Juntos, esses dois fatores têm levado pessoas de classes de menor renda a poupar mais e, ao mesmo tempo, fizeram com que alguns investidores de classe média saíssem dos fundos de renda fixa e voltassem para a poupança.   Veja também:  Captação líquida da poupança é a maior em dez anos"Na classe baixa, o aumento da massa salarial tem feito sobrar mais dinheiro no final do mês", diz o administrador de investimentos Fabio Colombo. "Já entre clientes de parte da classe média, muita gente que estava em fundos de investimento com altas taxas de administração, como 4% ou 5%, tem voltado para a poupança, porque não paga essa taxa nem o imposto de renda", completa.O superintendente-geral da Associação Brasileira de Entidades de Crédito Imobiliário e Poupança (Abecip), José Pereira Gonçalves, comemora o desempenho da poupança. Para ele, o ano de 2007 terminou com uma mudança na imagem das cadernetas. "Com a Selic (taxa básica de juros) menor, a rentabilidade de parte dos fundos de renda fixa passou a ficar com apenas um dígito. Isso diminuiu muito a vantagem na comparação com a poupança e a diferença não é mais perceptível", diz.Facilidade do investimento   Outro ponto que tem pesado a favor da poupança é a facilidade de investimento. "Fizemos uma pesquisa que mostrou que o cliente acha, muitas vezes, complicado aplicar em fundos, já que existem vários perfis e condições que variam de banco para banco. Para o cliente que prefere evitar essa complexidade, a poupança é como uma velha conhecida, já que é igual em todas as instituições", diz Gonçalves.Para 2008, o crescimento da economia deve manter o fluxo de depósitos para as cadernetas, avaliam os especialistas. O resultado, contudo, deve ser menor que o recorde de 2007. Apenas uma eventual mudança na política monetária poderia reverter o cenário positivo. Se, por exemplo, a inflação permanecer pressionada e o BC for obrigado a elevar a Selic, os fundos de renda fixa ganharão competitividade em relação à caderneta de poupança.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.