Rendimento da poupança é o 2º pior em 10 anos

Ganho real, quando se desconta a inflação, foi de só 1,89% em 2008

Renée Pereira, O Estadao de S.Paulo

10 de janeiro de 2009 | 00h00

O rendimento da Caderneta de Poupança, a mais tradicional modalidade de investimento do Brasil, teve em 2008 o segundo pior desempenho dos últimos dez anos. Segundo dados da empresa de informações financeiras Economática, a valorização de 7,9% só perdeu para os 7,7% de 2007. Descontada a inflação pelo indicador oficial, o Índice de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA), o investidor teve um ganho de apenas 1,89% em 2008. O número é o mais baixo desde 2004, quando o rendimento real foi de apenas 0,46%. O IPCA teve alta de 5,91% em 2008. "O poder aquisitivo do poupador no ano de 2008 caiu pelo segundo ano consecutivo", avaliou a Economática. De acordo com a consultoria, um poupador que, no fim do ano de 2007, depositou R$ 1 mil ganhou apenas R$ 79 até dezembro do ano passado. Ao mesmo tempo, uma cesta básica de mesmo valor teve valorização de R$ 59,10. Isso significou um ganho de R$ 19 para o poupador.QUEDA NOS DEPÓSITOSA queda na rentabilidade levou muitos investidores a experimentar outras modalidades de aplicações. Segundo dados do Banco Central (BC), o resultado de 2008 é 47,1% inferior ao de 2007. Apesar disso, os depósitos superaram os saques em R$ 17,66 bilhões, somando R$ 270,441 bilhões no último dia do ano passado. No acumulado do ano, as contas tiveram rendimento de R$ 17,42 bilhões.A queda nos depósitos da poupança ocorreu especialmente no primeiro semestre de 2008, quando a crise internacional ainda não havia estourado. Na época, com a forte atividade econômica no Brasil e o mercado de crédito a todo vapor, bancos passaram a incentivar o investimento nos Certificados de Depósito Bancário (CDB) em detrimento das demais opções, como a poupança. Esse incentivo ocorreu principalmente nas grandes instituições que precisavam de cada vez mais dinheiro para continuar atendendo à forte demanda por crédito. Essas instituições optavam por essa alternativa de captação de recursos porque a cada R$ 100 aplicados no CDB, o banco poderia emprestar livremente R$ 70. O restante era depositado no BC na forma de compulsório. Já na poupança, para os mesmos R$ 100, poderiam ser emprestados livremente apenas R$ 5.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.