Representante do FMI aprova reformas

A missão do Fundo Monetário Internacional esteve hoje no Ministério do Trabalho para se inteirar das discussões, no governo, das propostas de reforma trabalhista e sindical. O chefe da missão do fundo, que está no Brasil para a segunda revisão do acordo, Phill Gerson, disse que considerou "muito interessante" o que ouviu do secretário de Relações do Trabalho, Osvaldo Bargas. "Foi uma oportunidade para nós nos inteirarmos da estratégia do governo", disse Gerson. Segundo ele essas duas reformas são importantes para a sociedade brasileira. Ele disse que todas as reformas microeconômicas têm um papel importante para promover o crescimento da economia brasileira, não somente neste ano, mas no futuro. Ele preferiu, porém, não apontar qual reforma na área microeconômica seria mais importante e urgente para o Brasil promover. Gerson se encontrou, logo depois, com o ministro da Previdência, Amir Lando. Como os dois ministérios estão no mesmo prédio, no intervalo entre uma reunião e outra Gerson aproveitou para tomar um guaraná, em uma das barraquinhas de venda, na Esplanada do Ministério, e mais descontraído que seus antecessores, ele deu rápida entrevista.JurosO chefe da missão do FMI disse que o nervosismo do mercado deve acalmar com a decisão de ontem do Federal Reserv de não elevar a taxa de juros. O representante do Fundo reiterou a sua confiança na economia brasileira, alertando para a necessidade de os mercados terem calma. "Acho que os fundamentos do Brasil são bons e que devemos manter a calma. E os mercados devem fazer o mesmo", afirmou.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.