carteira

As ações mais recomendadas para dezembro, segundo 10 corretoras

Representante dos credores está sob ataque

O escritório de advocacia Lobo & Ibeas, que representa 28% dos credores do Banco Santos, quer convocar um assembleia geral no início de janeiro. O objetivo principal é destituir Jorge Washington de Queiroz da posição de presidente do Comitê de Credores na massa falida da instituição.

, O Estado de S.Paulo

20 de dezembro de 2010 | 00h00

O pedido foi motivado, entre outros fatores, por reportagem do Estado sobre uma operação suspeita realizada entre a massa falida do banco e um posto de gasolina de Juiz de Fora (MG). Em petição enviada à Justiça em 8 de novembro, os advogados Luiz Eugênio Araújo Müller e Sérgio Vieira Miranda da Silva afirmam que "naquele caso (do posto) a atuação do Sr. Queiroz foi, para dizer o mínimo, inteiramente incompatível com as altas responsabilidades que o exercício de seu cargo deveriam lhe impor".

Por isso, argumentam, Queiroz "já não mais goza da confiança de boa parte de seus representados, ou ao menos daqueles credores que vêm atuando mais intensamente no presente feito e acompanhando mais de perto sua forma de atuação".

Müller disse à reportagem que, pela legislação brasileira, quem representar no mínimo 25% dos credores pode solicitar a realização de uma assembleia geral. O pedido à Justiça, portanto, é uma formalidade. Pela programação que consta na petição, a assembleia será realizada em São Paulo, em primeira convocação, em 12 de janeiro. Se for preciso estender, o novo prazo será 19 do mesmo mês.

O que diz o acusado. Em conversa com o Estado, Queiroz refutou as queixas do Lobo & Ibeas. Segundo ele, o escritório age dessa forma porque não conseguiu apoio para criar um fundo de investimento em direito creditório (o chamado Fdic), que substituiria o atual modelo de pagamento dos credores.

"Ele (Müller) quer tirar uma pessoa que o está incomodando. Acha que estou atrapalhando", disse. "O escritório dele, não seus representados, é um dos patrocinadores do Fdic."

Segundo Queiroz, a maioria dos credores está satisfeita com sua atuação. "O único que está colocando obstáculo, solitariamente, é o Luiz Eugênio (Müller). Ele está agindo de má fé." Queiroz foi eleito presidente do Comitê de Credores do Banco Santos em maio de 2006, na única assembleia realizada até agora.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.