Ações

Empresas de Eike disparam na bolsa após fim de recuperação judicial da OSX

Representantes do FMI vêm ao Brasil na próxima semana

A vice-diretora gerente do Fundo Monetário Internacional (FMI), Anne Krueger, e o chefe do Departamento do Hemisfério Ocidental, Anoop Singh, virão ao Brasil na próxima semana para contatos com o governo e com representantes do setor privado. Segundo informações do Ministério da Fazenda, será uma visita de "cortesia" e não envolverá nenhuma negociação sobre o programa de US$ 30 bilhões que o Brasil mantém com o Fundo. "É um misto de cortesia e interesse no sucesso do Brasil", disse um dos interlocutores do Fundo no governo. Krueger e Singh virão ao País atendendo a convite formulado pelo ministro da Fazenda, Antônio Palocci, em abril, quando esteve em Washington participando da reunião de primavera do FMI. O objetivo do encontro é aprofundar o conhecimento de Krueger e Singh a respeito da economia e da sociedade brasileiras. Trata-se de uma visita útil especialmente para Singh, que assumiu há pouco tempo a chefia do Departamento do Hemisfério Ocidental e, portanto, tem sob sua responsabilidade todos os programas com os países da América Latina. A maior parte da experiência de Singh no Fundo ocorreu em outros continentes.O interesse é explicado, além disso, pela visível aposta que o FMI faz no Brasil. Dos países emergentes que têm programas com o Fundo, o Brasil é o que tem apresentado resultados mais vistosos. A proposta do governo Lula, de combinar ortodoxia no campo macroeconômico com a disposição de ampliar programas sociais, é acompanhada com atenção pelo Fundo e por outros organismos multilaterais como o Banco Mundial e o Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID).Além de Palocci, os representantes do Fundo poderão ter uma audiência com o presidente Luiz Inácio Lula da Silva. Também está sendo programado um encontro com a ministra de Assistência e Promoção Social, Benedita da Silva. Eles virão a Brasília na terça-feira. Na segunda-feira, estarão em São Paulo, onde têm reuniões marcadas na Universidade de São Paulo (USP) e na Federação da Indústria do Estado de São Paulo (Fiesp).Boas relações com FMIO Brasil recebeu o maior empréstimo já concedido pelo Fundo, de US$ 30 bilhões. Em junho, o FMI deverá colocar à disposição do Brasil uma parcela de US$ 9,1 bilhões desse empréstimo, o maior já liberado. O chefe da missão técnica que esteve no País na semana passada, Jorge Márquez-Ruarte, disse que recomendará à diretoria do Fundo a liberação dos US$ 9,1 bilhões. Nesta última revisão, a missão liderada por Ruarte e a equipe econômica brasileira chegaram ao diagnóstico comum que a vulnerabilidade do Brasil está superada. Tanto é assim que começaram-se a discutir os passos para a retomada do crescimento econômico no País, como o fortalecimento do mercado de capitais.

Agencia Estado,

15 de maio de 2003 | 17h11

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.