Repsol prepara abertura de capital no Brasil

A petroleira espanhola Repsol anunciou ontem que estuda abrir o capital de sua subsidiária brasileira, com o objetivo de levantar recursos para os pesados investimentos projetados para suas operações no País. A ideia é realizar uma oferta inicial de ações (IPO, na sigla em inglês) na BM&FBovespa, caminho já utilizado pela OGX, do grupo de Eike Batista, e em estudo pela HRT Oil/Gas, também nacional.

Nicola Pamplona / RIO, O Estado de S.Paulo

30 de julho de 2010 | 00h00

A Repsol projeta investimentos entre US$ 10 bilhões e US$ 18 bilhões no desenvolvimento das reservas de petróleo descobertas no Brasil, algumas delas no pré-sal da Bacia de Santos. A companhia vinha estudando a venda de parte dos ativos para levantar o capital, mas decidiu testar o mercado acionário antes de optar pela venda.

"Não faria sentido vender parte da nossa unidade sem antes ir ao mercado", disse o diretor operacional da companhia, Miguel Martinez. "Nós esperamos que o aumento de capital realmente financie a Repsol Brasil para cobrir os investimentos necessários para desenvolver todas as nossas propriedades no País."

O processo só deve ser iniciado após concluída a capitalização da Petrobrás, que deve concentrar as atenções do mercado financeiro neste terceiro trimestre, disse o executivo em entrevista para divulgar lucro de 523 milhões no segundo trimestre de 2010. O valor é 60% superior ao do mesmo período de 2009.

Exxon. Outra petroleira que divulgou balanço ontem - o lucro de US$ 7,5 bilhões no segundo trimestre -, a Exxon anunciou que perfurará um terceiro poço no pré-sal da Bacia de Santos no quarto trimestre deste ano. A companhia é operadora da concessão BM-S-22, ao sul das descobertas gigantes da Petrobrás na região, como Tupi e Guará.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.